terça-feira, 30 de junho de 2009

Cansada da criatividade alheia.



Para qualquer lado que você olhe há algo criativo.
O design do tênis, a capa da revista, a série da TV, a música bem produzida, a propaganda do perfume, e outras centenas de milhares de propagandas...
E em todo lugar há mensagens: faça isso, compre aquilo, conscientize-se a respeito disso, você também é responsável.




Tudo é imagem, a imagem está em todo lugar. Mas não é uma imagem que você pode decidir como ver, como interpretar, e você nem mesmo tem a opção de não olhar para ela: a imagem é colocada na sua frente. Alguém diz que a imagem vai ser desta maneira, alguém cria essas imagens todas e você tem que olhar para elas. Você vai perceber o que quiserem que você perceba...

Puta, que saco!





Por que o mundo não cala a boca por um dia?
Por que eu não posso pegar onibus e ver só as janelas, só as pessoas, sem anúncios?

Eu queria passar uns dias num lugar bem calmo, queria olhar os animais pastando, queria nadar num rio, acho que eu nunca nadei em um rio... que bad! haahahaha


É, eu devo estar de tpm...










sexta-feira, 26 de junho de 2009

Michael Jackson...

...morreu ontem aos 50 anos de um suposto ataque cardíaco.
Selecionei algumas fotos do rei do pop.
Ele fazia sucesso desde muito pequeno, como o mas engraçadinho dos irmãos Jackson
Apesar das imposições do pai, que segundo ele, o obrigava a cantar e fazer apresentações, Michael sempre era fotografado sorrindo.
Nesta foto com a irmã, Janet, em 1972.
O cabelo Black Power era marca registrada dos Jacksons 5.
Já durante sua carreira solo, Michael gostava de criar animais exóticos, como uma Lhama.
Nenhum negão era tão estiloso como ele: a expressão, o sorriso e a desenvoltura eram únicos, foto de 1979.
Época em que Michael se tornou 'mau'. Olhar 43, hehe.
Just beat it, beat it, beat it, beat it.
No one wants to be defeated.
Showin' how funky and strong is your fight
It doesn't matter who's wrong or right
Just beat it, beat it
Atuando (sim, após Michael os artistas passaram a atuar) em seu Clássico videoclipe Billie Jean.
Nesta imagem de 1985 com Lionel Richie, nas gravações de We Are The World.
Michael sendo recebido pelo então presidente americano Ronald Regan.
Nas gravações na favela Dona Marta, no Rio de Janeiro, Michael já estava com a pele branca.
Neverland.
Registro policial de quando foi acusado de abusar de crianças.
Michael Jackson na premiação do Video Music Awards da MTV, em 2002
Nos últimos 10 anos Michael fez poucas aparições expressivas e há indícios de que o aritsta que mais vendeu albuns no mundo estava tendo sérios problemas financeiros. No entanto, rei é rei. Vestia Givenchy mesmo assim.
Acredito que não há uma só pessoa neste mundo que nunca tenha assistido ele dançando Thriller e escutado suas músicas. Michael Jackson será para sempre lembrado pelos bons trabalhos que fez. E que agora descanse em paz.

Imagens obtidas no site http://www.people.com/

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Diploma de Jornalismo - o que é justo?


Na semana passada o STF (Superior Tribunal Federal) determinou a não obrigatoriedade da exigência de diploma de jornalismo para exercer a função.
Muita gente tem discutido essa questão e afinal, foi justa ou não?
Algumas ponderações precisam ser feitas a respeito disso:
- Em redações do Brasil inteiro trabalham milhares de jornalistas não formados;
- Empresários dos meios de comunicação têm feito coro afirmando que não se deve negar o direito de expressão de um profissional pelo fato de ele não ter diploma - mas há aí um engano: liberdade de expressão é diferente de exercício da profissão de jornalista. Todos os cidadãos podem manifestar suas opiniões e ideias desde que (espera-se) respeitem o outro [Isso é Constitucional e não é novidade]. Já a atuação de um jornalista não se restringe a expor uma opinião. Ele é o profissional que busca informação e fontes em que possa confiar, apura o material, entrevista pessoas sobre o assunto, seleciona o que é relevante ser publicado de maneira interpretativa e até reconstruindo fragmentos de um determinado fato além de outras atividades e, para tudo isso, é necessário que tal pessoa possua conhecimentos acerca da cultura e sociedade nas quais o assunto que ele irá abordar está inserido. Portanto praticar o jornalismo não é apenas uma questão de possuir uma opinião ou escrever bem;
- As universidades tem um papel importante na qualidade do profissional - se estabelecermos que hoje um jornalista deve saber a teoria, a técnica e a prática, podemos nos perguntar: será que as faculdades de jornalismo têm formado profissionais tão completos? basta analisar parte (mas uma boa parte) de tudo que é produzido no meio jornalístico que chegaremos a uma resposta negativa. A qualidade editorial de muitas revistas chefiadas por jornalistas de formação e com tiragens relativamente altas por aí, ainda é muito ruim;
- É bastante aceitável, desta maneira, que a posse de um diploma, não é garantia de competência em área nenhuma;
- Alguns estudantes de jornalismo (sim, alguns) têm procurado tornar pública a indignação que sentem diante desta decisão judicial - a que não cabe mais nenhum recurso, afinal o STF é a última instância possível a se recorrer - e pedem a saída do ministro Gilmar Mendes da presidência do STF. Não é difícil entender o motivo do repúdio à decisão: os futuros jornalistas (assim como eu) que passam 4 ou 5 anos se dedicando à um curso superior, investindo tempo e dinheiro para que no futuro possam tornar-se aptos a exercer sua profissão estão vendo, perante toda a sociedade, o valor dos seus esforços diminuir ainda mais.
- Não acredito que será, a partir de agora, qualquer um que poderá fazer parte de um jornal, ou revista, ou emissora atuando como jornalista: essa forma de pensamento é no mínimo ingênua até porque o mercado seleciona somente os mais preparados e isso não vai mudar tão cedo. Mas muitos profissionais competentes e até renomados são jornalistas sem formação na área -> a experiência de um Heródoto Barbeiro não vale menos que um diploma de um recém-formado...
- Profissionais medíocres recebem salários medíocres - é claro que existem manobras como ser sobrinho ou filho do dono da empresa, o que vai lhe garantir certa estabilidade e um crescimento bem menos árduo, mas isso é exceção, a regra é que o profissional deve provar que tem um diferencial e buscar o reconhecimento disso.
- A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e os Sindicatos de Jornalistas não nos representam como deveriam. Eles próprios se confundem com as informações que são veiculadas, tem pouca certeza do que falam (sei disso porque já fui ao Sindicato de São Paulo fazer uma entrevista, com diretores da instituição) e escondem isso atrás de sua simpatia - sim, eles ao menos são atenciosos.
- Em várioas outros países também não há exigência do diploma. Um exemplo disso é os EUA: nenhum estado lá determinou que os meios de comunicação devam exigir formação superior, mas a maioria das empresas midiáticas só contratam jornalistas formados, e olha que a imprensa americana pode ser considerada, de maneira geral, mais mercenária que a nossa.
- E uma última consideração: é possível que haja uma questão de poder por trás disso tudo. Não estariam os nossos representantes necessariamente interessados em assistir a entrada de jornalistas com baixo nível de senso crítico nas redações? Desta maneira seria mais fácil fazer com que os intermediários entre os poderes públicos e a população acreditem nas versões dos fatos (escandalosos, diga-se de passagem) que eles querem mostrar. Os senadores, deputados, governadores, ministros e toda a classe de políticos dariam gargalhadas lendo matérias feitas por profissionais mal treinados.
Seria interessante que as pessoas refletissem acerca destas questões que foram levantadas, no que diz respeito a não obrigatoriedade do diploma de jornalista, para assim constituirem suas opiniões.
Porque para mim, essa decisão tornou oficial algo que já é realidade na imprensa brasileira a pelo menos duas décadas: existem muitos jornalistas que o são por suas habilidades, e não pelo diploma. Não obstante, a minha postura (como estudante de jornalismo) não será a de cruzar os braços e simplesmente ver no que vai dar, mas sim tomo consciência da necessidade de me tornar uma profissional sempre pensando em melhorar. E se eu necessitar de uma segunda formação, eu espero adquirir mais conhecimento, o que nunca é demais.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Bum Bum Bum! Castelo Rá Tim Buummmm!

Eu amo Castelo Ra Tim Bum! Amo! não importa se eu não sou mais criança, é fantástico!
As vezes, quando não tem nada na tv que prenda minha atenção, eu coloco na Cultura torcendo pra que esteja passando. Hoje eu atento para coisas que antes eu não atentava, como a maquiagem dos personagens, a construção das falas, o enredo de cada capítulo, a atuação dos atores [expressão facial, corporal, verbal - eles pareciam sempre tão motivados!], as roupas de cada um, a organização dos intens do cenário, a sonoplastia...Puta merda! como é bem feito!

O tempo passa e Castelo Rá Tim Bum não fica obsoleto. Claro, eles
-> Nino - um menininho, tem só 300 anos;
->Dr. Victor - o relógio diz: o Dr. Victor vai chegar, o Dr. Victor está chegando, o Dr. Victor chegoooouuu!;
-> e a tia Morgana, que cabelo, que elegância, que estilo!) vivem num castelo no meio da cidade grande, têm uma árvore no meio da sala (com uma cobra falante dentro, diga-se de passagem), vivem tentando não cair nas armadilhas do doutor Abobrinha, recebem sempre a visita dos amigos do Nino (Zéquinha, Biba e o Pedro - oh! eles cresceram!), do extraterrestre Etevaldo...

Sem contar (já contando) no Telekid - o Tas, novinho, sem rugas, cuti cuti! - que sempre aparece pra responder as perguntas do Zéquinha, no Gato pintado da Biblioteca, no Mau que deve estar correndo pelos encanamentos do Castelo, nos Passarinhos que vivem no lustre, nos cientistas Tíbio e Perônio, Bongô que entrega pizza, na Caipora.... Enfim, repito: amo!
Uma produção muito boa, realmente educativa.




No site da tv rá tim bum tem esses horários de exibição:
Segunda a Sexta - 9h15 e 20h10
Todos os dias - 12h30 e 3h15
Sábado e Domingo - 20h20; mas eu confesso que assisti hoje por volta das 19h20 - não sei se mudaram a transmissão e não atualizaram no site... bem.
Aqui estão uns links dos videozinhos (não consegui adicionar pra rolar aqui - sorry) da abertura e de algumas musiquinhas, pena que a qualidade das imagens e dos sons não seja das melhores, mas dá pra relembrar. Ou, se você quiser, pode fazer como eu: colocar o som no máximo, cantar muito alto e dançar junto!
Rátinho do banho (tchau preguiça! tchau sujeira! adeus cheirinho de suoooor! Lava, lava, lava...)
Lavar as mãos (Depois de brincar no chão de areia a tarde inteira, Antes de comer, beber, lamber, pegar na mamadeira...)
Passarinho tocando gaita (Passarinhoo! que som é esseee?)

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Você conhece o My Mini Life?



É um joguinho em que você cria propriedades virtuais.

Na verdade, nele você se torna um arquiteto/decorador e tem que pensar em tudo: no tamanho do terreno, no tipo e cor do piso que será colocado em cada parte do imóvel, em quantas paredes vai ter e como você irá querer que elas sejam por dentro e por fora...


Bem, isso é só a parte estrutural, o mais legal é que você tem dinheiro (os MyMiniBucks) e precisa administrá-lo para comprar as portas e janelas, os móveis, eletrodomésticos, eletrônicos, bichos de estimação, flores e árvores, pessoas... Você pode criar uma visinhança com as suas criações (imóveis ou itens) e pode convidar outros usuários a fazer parte delas. Com transações como esta você ganha mais dinheiro e pode comprar mais.(!!!!)

Todo tipo de construção é possível, as mais feitas são casas mesmo, mas tem muitas academias, clubes, campos de futebol, escolas, hospitais, estacionamentos, puteiros...

É muito interessante, especialmente nas férias, época em que eu retomo minhas atividades pseudo-artistico-arquiteturais. Recomendo! Quem gosta de SimCity, The Sims e jogos do tipo tem grandes chances de gostar.
Eu descobri pelo aplicativo que você adiciona através do orkut. No começo é um pouquinho difícil, mas tudo na vida é assim. E depois que você pega a manha, o MyMiniLife vira um vício.

Enquanto não dá pra realizar na vida real, sonhar não custa nada...

domingo, 21 de junho de 2009

Colocação do Grande Prêmio da Inglaterra, em Silverstone:


1° - S. Vettel (ALE) da RedBull - com cara de menininho e sorriso fácil, o alemão é a nova promessa de grande piloto da F1.

2° - M. Webber (AUS) também da RBR
3° - R. Barrichello (BRA) da Brawn - tudo bem, o Rubinho foi para o pódio então está aceito... hehehe
4° - F. Massa (BRA) da Ferrari - Brasiiiillll silll sillll
5° - N. Rosberg (ALE) da Williams
6° - J. Button (ING) da Brawn
7° J. Trulli (ITA) da Toyota

8° - K. Raikkonen (FIN) da Ferrari
12° - N. Piquet (BRA) da Renault

14° F. Alonso (ESP) da Renault



Sebastian Vettel ganha o GP da Inglaterra



Eu estava assistindo a corrida de Fórmula 1 e fiquei impressionada com o desempenho do alemão Sebastian Vettel. O cara tem 21 anos (ohmygod! minha idade) - sendo o mais novo piloto da temporada, largou na pole, fez o melhor tempo em uma volta e ainda levou o ouro!


Após isso eu me decidi: vou fazer alguma coisa da minha vida! e criei esse blog... hahaha :-D